ligamos para vocë
X
Nome
Telefone
Qual o melhor horário?
Atendimento em dias úteis das 9h às 19h
3.629

Armadilhas da aposentadoria

Aposentadoria

A aposentadoria é um dos principais temas em finanças pessoais e uma das grandes preocupações financeiras das pessoas. Envolve decisões de longo prazo, requer um bom planejamento dos investimentos, mas há várias armadilhas pelo caminho. O artigo publicado no Journal of Retirement dedicado ao tema da previdência cita quatro perigos associados à aposentadoria.

O primeiro é o planejamento dos gastos na hora do desinvestimento. Na ponta do lápis, há duas possibilidades no período de acumulação: planejar para que a renda durante a aposentadoria venha apenas dos rendimentos das aplicações financeiras ou planejar para que haja resgate do rendimento e parte do principal. Essa segunda estratégia impõe um menor sacrifício no período de acumulação, já que requer uma economia menor, mas inclui uma variável a mais que é a longevidade (a ser discutida mais adiante). Um dos riscos na aposentadoria é errar os cálculos e gastar mais do que deveria levando em conta o rendimento dos investimentos e o patrimônio acumulado. O desafio é encontrar uma taxa sustentável de consumo do patrimônio de forma a não gastar tudo antes da hora.

Outra armadilha é não levar em conta alguns riscos como o de inflação, longevidade e saúde. A inflação corrói o poder de compra e é um erro deixar de levar em conta esse fator no planejamento. Pior ainda, a inflação pode afetar negativamente o rendimento real dos investimentos. Outro risco é ou ter um problema de saúde e ter que antecipar a aposentadoria (encurtando o período de acumulação e aumentando o período de desinvestimento) ou viver mais do que o esperado (o que é um ótimo problema, mas que impacta o planejamento previdenciário). E, na verdade, esses fatores não podem ser tão diretamente influenciados pela pessoa, ou não tanto quanto a decisão de economizar mais ou menos, assumir mais ou menos risco.

No período de acumulação, uma das armadilhas é a de ser muito conservador nos investimentos. Assumir mais risco e escolher produtos menos conservadores diminui a necessidade de economizar ao oferecer retornos maiores. Certamente que o risco pode afetar de maneira adversa o patrimônio da pessoa, e por isso que é necessário investir em uma carteira diversificada de forma a não se expor demais a um fator de risco específico para que eventuais perdas (ou baixos retornos) em uma aplicação sejam compensadas pelo retorno das demais.

A última armadilha é a de não aderir ao seu planejamento previdenciário, o óbvio complemento desse item sendo não ter um planejamento em primeiro lugar (o que, no artigo mencionado, é o caso da maioria dos entrevistados). Um dos motivos comuns do abandono do planejamento é rever os investimentos quando isso não deveria ser feito. Em mercados de baixa, a tendência é que os investidores deixem de aplicar em ações ou mesmo a de liquidar esses investimentos e ir para ativos menos arriscados. Isso mostra ou um planejamento errôneo (em desacordo com o perfil do investidor) ou uma falta de firmeza no planejamento e na alocação de carteira.

Um erro no planejamento previdenciário ou na sua execução podem ter como consequência o adiamento da aposentadoria ou uma menor qualidade de vida no futuro, por isso, é necessário se precaver contra essa e outras armadilhas. Como o assunto é complexo, a pessoa pode buscar um auxílio profissional para ajudar a lidar da melhor maneira possível com esse assunto.

Fonte da imagem: PublicDomainPicture

Comentar

COMENTÁRIOS


COMENTAR

Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado. Os campos com * são obrigatórios

*
*